O consumo individual por cidadão, medido pela Paridade do Poder de Compra, variou entre 51% em 137% da média europeia em 2015, revelam os dados do Eurostat.

Um sinal evidente das disparidades no rendimento disponível dos cidadãos em cada um dos países da União Europeia, já que o indicador inclui os bens comprados pelas famílias mas também os disponibilizados pelo Estado, como a saúde e a educação.

Os números, do gabinete de estatística europeu, mostram que houve 10 estados com consumo individual acima da média europeia no ano que passou, sendo que a percentagem mais elevada se verificou no Luxemburgo, 37% além da média, seguido da Alemanha com 25% superior à média.

Portugal surge quase ao lado da Espanha, no leque dos países com um consumo médio “per capita” entre 10% e 20% abaixo da média da Europa. No caso português o consumo “per capita” situa-se nos 83% da média europeia (17% abaixo da média).

Mas pior do que os portugueses estão os parceiros do Leste (como a Eslováquia, República Checa, Polónia e Eslovénia) e a Grécia.