A DECO lança esta segunda-feira uma campanha nacional que pretende explicar aos consumidores como poupar na fatura da água, mas também alertar para os desperdícios deste “bem público essencial e indispensável à vida”.

Para informar os consumidores em “relação a tudo o que tem a ver com o setor da água” (faturação, tarifários, entidades gestoras, funcionamento do setor), a associação de defesa do consumidor vai realizar 100 sessões informativas em todo o país, disse à Lusa Ana Martins, jurista da DECO.

“Apesar do setor da água ser muito importante para os consumidores, é um dos setores mais confusos para o consumidor porque temos em Portugal cerca de 500 entidades gestoras [empresas que fazem a gestão e o tratamento de águas e resíduos”, adiantou Ana Martins, comentando que todos os dias consumidores contactam a Deco com “dúvidas sobre as suas faturas”.

Nestas sessões informativas serão dadas dicas de poupança e explicado aos consumidores que, “com simples gestos diários”, é possível “poupar na fatura da água, mas também poupar este serviço fundamental para todos”, sublinhou.

A campanha “Água: Um bem público ao seu serviço”, que tem o apoio do Fundo para a Promoção dos Direitos do Consumidor, pretende também informar sobre a existência de tarifários especiais para as famílias em situação de carência económica e famílias numerosas.

Devido aos preços do serviço variarem de entidade para entidade, a DECO pretende informar os consumidores sobre os tarifários que podem utilizar ou solicitar junto da entidade gestora da sua zona para ter tarifas especiais.

“O objetivo é aproximarmo-nos o mais possível do consumidor para conseguirmos ajudá-lo a poupar, a perceber a sua fatura e ajudá-lo a melhorar o acesso a este serviço”, explicou Ana Martins.

Outro objetivo da campanha é alertar para o desperdício de água no sentido de também poupar o ambiente.

“Em Portugal estima-se que anualmente o consumo que os portugueses fazem de água é de 7.500 milhões de metros cúbicos”, mas destes são desperdiçados, por ano, cerca de 2.600 milhões, salientou a jurista da associação.

Isto quer dizer que “cerca de 35% da água que nós consumimos ou que precisamos está a ser desperdiçada”, o que se reflete também a nível ambiental, lamentou.

Em 2013 e 2014 a Deco realizou uma campanha em que apelou aos consumidores que denunciassem fugas de água, tendo recebido 1.400 denúncias, o que demonstrou que “há uma preocupação dos consumidores em relação a este setor”.

Diariamente 88 municípios perdem 150 litros de água já tratada, originando “perdas para a entidade gestora, que as vai repercutir no consumidor”, disse a responsável, advertindo que este problema reflete-se na “disparidade de preços de entidade para entidade”.

A campanha também tem o papel de alertar as entidades gestoras para as suas obrigações e para que resolvam estas situações de desperdício de águas, acrescentou Ana Martins.