DECO encerrou a campanha 'Poupe no Cabaz' sem chegar a acordo com nenhuma cadeia de supermercados, porque as propostas apresentadas não reuniram os requisitos definidos, anunciou esta quarta-feira a associação de defesa do consumidor.

Em comunicado, a DECO explica que “as propostas apresentadas [pelas cadeias de supermercados] não reúnem os requisitos definidos pela associação, que passavam por um desconto permanente em 35 categorias de produtos essenciais e liberdade de escolha das marcas”.

Com esta ação, a associação de defesa do consumidor “pretendia marcar de forma diferenciadora o panorama habitual das campanhas promocionais dos supermercados, proporcionando às famílias portuguesas descontos imediatos, sem condicionalismos na escolha de marcas e de quantidades a comprar”.

Segundo a DECO, os interessados começam por alegar dificuldades na implementação de um sistema que permitisse oferecer descontos diferenciados e permanentes aos registados na campanha, naquele cabaz de produtos essenciais, e, em junho, o processo avançou para a negociação direta com os operadores.

“Apesar dos mais de 560 mil consumidores que manifestaram interesse em beneficiar deste desconto e se inscreveram, nenhuma cadeia de supermercados conseguiu responder à totalidade dos requisitos”, revela em comunicado a DECO, garantindo que continua “à procura de soluções e parcerias para ajudar os consumidores a reduzir a despesa de supermercado.

O leilão de supermercados da DECO foi divulgado em abril e pretendia proporcionar aos consumidores inscritos um desconto em 35 categorias de produtos essenciais, como leite, arroz, fruta, massas, carne e peixe.