O crédito concedido para habitação e consumo ascendeu em março a 491 e 349 milhões de euros, atingindo máximos de cinco e seis anos, respetivamente, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal.

De acordo com o Banco de Portugal , seria “necessário recuar a maio de 2011 e a dezembro de 2010 para se encontrarem volumes superiores de novas operações (536 milhões de euros e 406 milhões de euros, respetivamente)”.

O crédito à habitação concedido em março representou um crescimento de 29% face ao mês anterior.

No total, o novo crédito a particulares ascendeu a 1,012 mil milhões de euros, de acordo com os dados do Banco de Portugal.

As novas operações de crédito para outros fins ascenderam a 172 milhões de euros, o valor mais elevado desde dezembro.

Nas novas operações de crédito concedido a particulares, as taxas de juro médias para as finalidades de habitação e consumo foram de 2,05% e 7,59%, respetivamente.

A taxa de juro relativa ao crédito concedido para habitação corresponde a um novo mínimo histórico.

Financiamento às empresas avança 21% em março para 2,711 mil milhões

O novo crédito concedido às empresas aumentou 21% em março, com as novas operações a ascenderem a 2,711 mil milhões de euros, segundo dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal.

O financiamento às pequenas empresas alcançou os 1,607 mil milhões de euros (face aos 1,332 mil milhões de euros de fevereiro), enquanto as grandes empresas conseguiram 1,104 mil milhões de euros (o que compara com os 909 milhões de euros emprestados um mês antes).

No acumulado do primeiro trimestre do ano, foram concedidos 7,355 mil milhões de euros às empresas, dos quais 4,288 mil milhões de euros concedidos a pequenas empresas e os restantes 3,067 mil milhões de euros às grandes.