A compra de carros novos e usados foi o principal fator para que o crédito aos consumidores aumentasse 11% em 2014 para os 4.128 milhões de euros, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP).

O relatório de Acompanhamento dos Mercados Bancários de Retalho do BdP indica que "a evolução do crédito aos consumidores ficou a dever-se, sobretudo, ao crédito automóvel, que cresceu 33,2%, seguido do crédito pessoal, com um aumento de 10,7%" e do crédito 'revolving' (cartões de crédito sobretudo), que caiu 7,8%.

Apesar da ligeira redução no número de contratos celebrados, "o montante de crédito concedido cresceu 11,4%, após 14,8% de aumento observado em 2013", refere o relatório.

O documento observa ainda que o peso relativo das instituições com atividade especializada no crédito aos consumidores "passou de 40,7% para 45,8%, crescimento verificado em detrimento das instituições com atividade universal".

Segundo o BdP, "a descida do custo do crédito foi generalizada", principalmente no crédito 'revolving' em que foi mais acentuada, "tendo a taxa anual de encargos efetiva global (TAEG) média diminuído cerca de três pontos percentuais" face a 2013.

No crédito pessoal e no crédito automóvel, a redução foi de 0,9 e 0,6 pontos percentuais, respetivamente.