O governador do Banco de Espanha, Luis María Linde, avisa que continua a haver riscos sobre o cumprimento do objetivo do défice para este ano e que o esforço para sanear as finanças públicas necessário é de «grande magnitude».

Linde, que falava na Comissão de Orçamento do Congresso de Deputados, explicou que apesar desses riscos o BE não vai, para já, corrigir a previsão, antecipando por isso que Espanha deverá terminar 2013 com um défice de 6,5% do PIB.

Para o governador do Banco de Espanha cumprir esse objetivo exige que a execução orçamental do segundo semestre seja «muito estrita» em todas as administrações, condição essencial para evitar «desvios adicionais».