O indicador de atividade económica manteve em março a recuperação desde final de 2014, enquanto o indicador do consumo interrompeu a subida e estabilizou, informa esta quarta-feira o Banco de Portugal.

Segundo o BdP, o indicador coincidente mensal para a evolução homóloga da atividade económica subiu 0,6% em março, prosseguindo «a trajetória de melhoria observada desde o final do ano passado».

Numa análise do acumulado do trimestre terminado em março, o indicador de atividade económica registou uma taxa média de variação de 0,1%, contra -0,3% no trimestre terminado em fevereiro.

Relativamente ao indicador coincidente mensal para a evolução homóloga do consumo privado, apresentou em março uma estabilização face ao mês anterior, interrompendo o movimento descendente registado desde meados de 2014: variou 1,5%, tal como em fevereiro.

No acumulado até março, este indicador apresentou uma taxa média de variação de 1,5%, que compara com os 1,6% do trimestre terminado em fevereiro.

Os indicadores coincidentes são indicadores compósitos que procuram captar a evolução subjacente da variação homóloga do respetivo agregado macroeconómico, apresentando assim «um perfil mais alisado» e não se destinando a refletir em cada momento do tempo a evolução da taxa de variação homóloga do respetivo agregado de Contas Nacionais.