O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, disse esta segunda-feira, em Coimbra, que o aumento do índice de melhoria de confiança dos consumidores demonstra que há "sinais positivos" na economia portuguesa.

"Devemos olhar para estes números com cuidado, mas são números positivos, que reforçam a confiança na economia portuguesa e também a confiança de que pode haver uma retoma mais forte ao longo do ano."

Caldeira Cabral, que falava à entrada para um jantar/conferência integrado no 3.º Fórum Turismo Interno, que está a decorrer até terça-feira em Coimbra, considerou que os "consumidores estão mais confiantes na economia portuguesa".

O indicador de confiança dos consumidores retomou a trajetória ascendente em maio, após ter diminuído no mês anterior, e o clima económico aumentou entre março e maio, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) melhorou em maio, alcançando os -11,9 pontos (-12,4 pontos em abril), após ter diminuído no mês anterior e "retomando a tendência ascendente observada desde o início de 2013".

Ainda segundo o INE, a evolução do indicador de confiança dos consumidores em maio "resultou do contributo positivo das perspetivas relativas à evolução da situação financeira do agregado familiar, da situação económica do país e da poupança".

"É uma melhoria que se verificou e há alguns sinais positivos que estão a aparecer", frisou o ministro da Economia, considerando que os números divulgados não devem ser "interpretados com demasiado otimismo nem com demasiado pessimismo".

Segundo Caldeira Cabral, os valores revelados "devem sempre ser lidos com cuidado, porque são mês a mês e com variações".