O Estado notificou várias empresas para que devolvam as verbas pagas em seguros de crédito, que a União Europeia considerou terem sido ajudas ilegais às sociedades portugueses, entre 2009 e 2010.

Em causa, segundo o Jornal de Negócios, os montantes que foram atribuídos às empresas para majorar coberturas de apólices básicas, no âmbito de seguros de crédito, com o objetivo de cobrir clientes. Mas foram vetados por Bruxelas, por práticas que não estavam de acordo com as regras da Concorrência.

É já a segunda vez que a Direção Geral das Atividades Económicas tenta reaver este dinheiro. A primeira vez foi em 2013.