Já tinha prometido usar todos os meios contra a reversão da subconcessão do Metro e da Carris,  e agora concretiza a ameaça: a ADO Avança vai avançar para tribunal contra o Estado, depois de o atual Governo ter anulado os contratos assinados na reta final da legislatura anterior. 

"A ADO Avanza comunicou hoje que decidiu avançar com a impugnação, nos tribunais portugueses, da anulação dos contratos assinados com o Governo Português para a subconcessão da operação do Metro de Lisboa e da Carris".

Em comunicado, a empresa mexicana, que ganhou o concurso, recorda que o processo de subconcessão foi iniciado "em cumprimento dos acordos económicos estabelecidos com a Comissão Europeia e com o Banco Central Europeu" e garante que a "reversão" decidida depoisimplica, para Portugal, "a perda de mais de 200 milhões de euros".

“Esta impugnação constitui um primeiro passo na defesa dos nossos direitos perante aquilo que consideramos uma arbitrariedade e um grave incumprimento da lei. A nossa empresa actuou, em todo o momento, com respeito institucional e realizou importantes esforços humanos, económicos e técnicos. Neste contexto, preocupa-nos a insegurança jurídica do investimento estrangeiro e as consequências que possa ter nas relações bilaterais entre México e Portugal”, afirma o presidente da ADO Avanza, Luís Fernando Lozano.

Fica ainda a promessa de recorrer, se necessário, a instâncias internacionais, para que a empresa seja "compensada pelos graves prejuízos causados".