O Estado deverá encaixar cerca de 88 milhões de euros com a concessão do Oceanário, por um período de 30 anos, à sociedade Francisco Manuel dos Santos, acionista do grupo Jerónimo Martins e que tem como líder histórico Alexandre Soares dos Santos, revela o Diário Económico.

O montante inclui 25 milhões de euros referentes à venda da totalidade das ações da empresa que gere o equipamento, a somar a uma verba de 10 milhões de euros pela concessão.

A renda custará 1,3 milhões de euros por ano, e o vencedor terá também de desembolsar 5% sobre as receitas anuais, o que poderá significar um encaixe adicional de 15 milhões de euros até ao fim do período de concessão.