Comprar casa é um desafio cada vez maior já que os preços não param de aumentar em Portugal. Só no quarto trimestre de 2016, o aumento foi de 7,5% face aos três meses anteriores. As únicas exceções são as regiões do Alentejo, do Centro e da Madeira.

“Com esta subida, o preço da habitação situa-se nos 1.351 euros por metro quadrado, revela o índice de preços da plataforma Idealista.

A região de Lisboa liderou a escalada, com uma atualização do valor das casas em mais 12,1%  e o preço por metro quadrado a rondar 1.779 euros. Sem surpresas, “continua a ser a região mais cara” do país.

E ainda é, também, "a capital de distrito onde é mais caro comprar, custando 3.231 euros por metro quadrado”. A seguir estão o Porto e o Funchal.

As capitais de distrito mais económicas para comprar casa são Bragança (633 euros por metro quadrado), Braga (672 euros/m2) e Guarda (698 euros/m2).

Voltando ainda às regiões, depois vem o Norte, a segunda a registar uma maior subida, de 5,3%, onde a habitação custa 1.000 euros/m2.

No Algarve, o preço situa-se nos 1.457 euros/m2, valorizando 3,2%. É a segunda região mais cara para comprar casa em Portugal.

“Excluindo o Alentejo, o Centro e a Madeira, todas as regiões viram os preços aumentarem”: no Centro, os proprietários pedem menos 4,1% pelas casas, no Alentejo menos 3,3% e na Madeira a descida é de 0,5%.

Apesar da descida do preço, a Madeira continua a ser a terceira região mais cara para adquirir habitação em Portugal, com o valor a situar-se nos 1.097 euros/m2. A seguir está o Alentejo, onde o preço a pagar é de 1.029 euros/m2.

A região Centro é a campeã dos valores mais baixos: o preço por metro quadrado está nos 890 euros.

Atualização de preços por distritos

Lisboa + 11,8%
Porto  + 6,5%
Évora + 6,2%
Coimbra  - 7,7%
Aveiro -2%
Guarda -1,7%

Atualização de preços por capital de distrito

Lisboa + 9,7%
Porto + 8,5%
Évora + 6,8%
Coimbra - 5,9%
Aveiro - 3,1% 
Beja - 3,1%

Os distritos mais caros

Lisboa
Faro
Madeira

Os distritos mais baratos

Bragança
Guarda
Castelo Branco

Segundo a plataforma imobiliária Idealista - usada em Portugal para comprar, vender ou arrendar -, este índice de preços imobiliários analisou “53.063 anúncios que estão ou já estiveram anunciados na base de dados do Idealista, entre 23 de outubro e 23 de dezembro de 2016”.