O presidente do Banco Central Europeu quer reduzir os riscos do programa de compra de dívida soberana e propôs à Alemanha que cada banco central nacional compre dívida apenas do seu país, indicou esta sexta-feira a revista Der Spiegel.

Segundo a publicação alemã, na quarta-feira passada, Mário Draghi apresentou em Berlim as suas ideias à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble.

Os bancos centrais vão comprar e manter apenas obrigações dos seus países, de acordo com os últimos planos do BCE, assinala Der Spiegel.

Com esta opção, evita-se que a Alemanha, que tem manifestado reservas em relação a um programa de compra de dívida soberana pelo BCE, assuma riscos por outros países.

Além disso, o BCE quer estabelecer um limite máximo de volume de compra no mercado de 20 a 25% do volume de dívida estatal de cada país.

A Grécia não poderia participar no programa porque a dívida grega não cumpre os requisitos mínimos de qualidade, refere a revista sem revelar as suas fontes.

O governador do banco central holandês (De Nederlandsche Bank), Klass Knot, mostrou-se favorável à transferência do programa de compra de dívida para os bancos centrais nacionais.

«Se cada banco central nacional só adquirir dívida do seu próprio Estado, será menor o perigo de uma redistribuição dos riscos financeiros», disse Knot à publicação alemã.

A primeira reunião de política monetária do BCE será na próxima quinta-feira.