Quase mais seis mil idosos passaram a receber o Complemento Solidário (CSI) no último ano, havendo atualmente 166.170 pessoas a receber esta prestação social, segundo dados estatísticos da Segurança Social divulgados hoje.

Em julho havia registo de 166.170 pessoas a receber o CSI, o que significa que no prazo de um ano, entre julho de 2016 e julho de 2017, mais 5.918 idosos passaram a receber o CSI.

Um aumento registado igualmente comparando os meses de junho e julho deste ano, com mais 564 idosos a terem direito ao CSI.

De acordo com a Segurança Social, entre os 166.170 beneficiários, a maioria são mulheres (116.599) e estão sobretudo concentrados nos distritos do Porto (27.220), Lisboa (24.810) e Açores (17.534).

Olhando para as várias pensões, e segundo a síntese de informação estatística, as pensões de velhice mantêm-se como as que têm maior expressão no total das pensões representando, em julho, 68,1% do total. Nesse mês foram pagas 2.034.017 pensões de velhice, mais 812 do que em junho.

No que diz respeito às pensões de sobrevivência, que representam 24,1% do total, foram 718.739 pensões, mais 1.227 (0,2%) do que em junho, mas menos 2.600 do que em igual período de 2016.

Por último, houve 233.731 pessoas a receberem pensão de invalidez, menos 725 do que em junho e menos 10.427 do que em junho de 2016.

Número de abonos de família desce em julho

O número de abonos de família atribuídos pela Segurança Social voltou a cair no mês de julho, com menos 874 face a junho e menos 17.095 face ao período homólogo, chegando agora a mais de 1,12 milhões de menores.

De acordo com o Instituto de Segurança Social (ISS), em julho havia 1.121.465 crianças ou jovens a receber este apoio, menos 17.095 do que no período homólogo do ano passado e menos 874 do que junho.

Relativamente à distribuição geográfica, é possível constatar que o abono de família é maioritariamente pago nos distritos de Lisboa (230.100), Porto (221.429) e Braga (102.313).

Já no que diz respeito às prestações por parentalidade, a síntese de informação estatística da Segurança Social, elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), mostra que, em julho, foram atribuídas 37.816 prestações.

Este número representa uma quebra de 2,6% em comparação com o mês de junho, mas traz, por outro lado, um aumento de 4,4% quando a análise é feita tendo em conta o período homólogo de 2016.

“Para os indivíduos do sexo feminino, foram processadas 26.286 prestações, o que revelou uma diminuição de 1,8% quando comparado com junho de 2017 e uma subida de 6,3% relativamente ao período homólogo do ano passado.

No que diz respeito aos indivíduos do sexo masculino, foram contabilizados 11.530 beneficiários, resultando numa redução de 4,4% face ao mês anterior e um acréscimo de 0,2% em termos homólogos”, lê-se na síntese informativa.