A Comissão Europeia estima que, se Portugal levar a cabo as reformas estruturais, o PIB possa crescer cerca de 3% nos primeiros 5 anos e 4,6% após 10 anos. A curto prazo, diz a CE, o maior contributo virá das reformas no mercado dos produtos, reduzindo a diferença entre o custo de um bem ou serviço e seu preço de venda.

Portugal só vai ter crescimento sustentável com reformas estruturais

No médio prazo, a Comissão defende que as políticas ativas no mercado de trabalho e uma mudança de impostos do trabalho para o consumo também terá efeitos significativos no PIB.

O documento defende que a reforma no mercado dos produtos e no mercado de trabalho tem um grande potencial para influenciar uma subida do número de empregos no curto e médio prazo.

A Comissão ressalva que estas estimativas são baseadas num modelo de cálculo que assume que todos os Estados-membros empreenderão reformas similares.