O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, considerou esta quarta-feira que «as previsões são tão credíveis como as retificações», após questionado sobre a revisão em baixa da previsão de crescimento económico divulgada pela Comissão Europeia.

«Com a instabilidade que vai na economia mundial, as previsões são tão credíveis como as retificações e eu já vi Portugal superar várias vezes organizações internacionais e as suas previsões», afirmou, citado pela Lusa.

O líder democrata-cristão respondia aos jornalistas à saída de um comício no Teatro São Luiz no âmbito das comemorações dos 40 anos do CDS-PP.

Paulo Portas sublinhou que as exportações cresceram «mais do que alguns pensaram», que a «redução do desemprego em Portugal foi maior do que alguns pensavam» e que «o combate à evasão fiscal através da fatura obrigatória teve melhores resultados do que alguns pensavam».

O governante disse que quarta-feira de manhã sairão novas estatísticas sobre o desemprego, manifestando-se convicto de que «são boas para Portugal, surpreendem pela positiva possivelmente algumas organizações internacionais».

As previsões económicas de outono, divulgadas em Bruxelas na terça-feira pela Comissão Europeia, reveem em baixa as previsões de há seis meses, admitindo o executivo comunitário que a retoma é e será mais lenta do que o esperado.

De acordo com as novas previsões, a economia crescerá apenas 0,8% este ano na zona euro e 1,3% na União Europeia, e em 2015 crescerá 1,1% no espaço da moeda única e 1,5% no conjunto dos 28 Estados-membros, quando, em maio passado, por ocasião das previsões da primavera, Bruxelas previa valores superiores a estes já para 2014 (1,2% e 1,6%, respetivamente), que se reforçariam em 2015 (1,7% e 2,0%).