Portugal esteja entre os Estados-membros sob «monitorização específica», por desequilíbrios económicos excessivos



«Não foi nenhuma surpresa aquilo que ontem [quarta-feira] foi anunciado pela comissão e diria que estamos numa situação, em termos de companhia, como aliás esta semana foi reconhecido por alguém, do que a que tínhamos há quatro anos e há 12 meses.»


António Costa, afirmou que «os investidores (…) deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela que estava há quatro anos».