A Comissão Europeia voltou esta quarta-feira a considerar que a Rússia não é alternativa para a Grécia e que o lugar deste país é na zona euro.

Em conferência de imprensa hoje em Bruxelas, a porta-voz da Comissão Europeia, Mina Andreeva, recusou fazer comentários sobre a aproximação entre a Grécia e a Rússia e, especialmente, sobre a visita do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, na quarta-feira a Moscovo, onde vai reunir-se com o presidente russo, Vladimir Putin.

A porta-voz recordou, no entanto, declarações recentes do comissário europeu Pierre Moscovici: «É claro que a Rússia não é alternativa para a Grécia, o lugar da Grécia é na zona euro».

Sobre a oposição da Grécia à continuação das sanções à Rússia, a propósito da crise na Ucrânia, Mina Andreeva lembrou apenas que o último Conselho Europeu - em que participaram todos os líderes dos 28 Estados-membros - aprovou a manutenção das sanções até que haja o cumprimento completo dos acordos de paz de Minsk, o que deve significa que estas se prolongam para já até final do ano.

Alexis Tsipras vai à Rússia em 08 de abril, numa visita que se pode tornar incómoda para os parceiros europeus, face à interrogação sobre se o Governo grego vai pedir algum tipo de ajuda financeira a Moscovo.

Tsipras tem também agendada uma visita a Moscovo a 09 de maio, para assistir às comemorações dos 70 anos da vitória dos Aliados sobre a Alemanha nazi.

A Grécia continua numa situação de impasse com os credores e parceiros europeus a propósito das negociações para acordar uma lista de reformas a implementar no país que permitam desbloquear parte da última parcela, de 7,2 mil milhões de euros, do segundo programa de resgate.

A Grécia tem cada vez mais necessidade de dinheiro para evitar uma situação de incumprimento, o que, se nada for feito, poderá acontecer ainda durante o mês de abril face à escassez de dinheiro nos cofres públicos.