O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, voltou hoje a pedir, em Santander, a Moscovo e a Kiev que se esforcem para chegar a um acordo sobre a distribuição do gás à Ucrânia.

«Gostaria de, mais uma vez, apelar aos dois países para fazerem um esforço» e tentarem chegar a um acordo sobre o fornecimento de gás à Ucrânia, cuja interrupção foi hoje anunciada pela Rússia, disse José Manuel Durão Barroso.

O chefe do executivo comunitário salientou que está em cima da mesa uma boa proposta, em negociações mediadas por Bruxelas, sublinhando o seu desejo de que a Rússia aceite chegar a acordo.

O ministro da Energia ucraniano, Iuri Prodan, anunciou hoje que a Rússia «reduziu a zero» o fornecimento de gás à Ucrânia a partir desta manhã, mas assegurou que o seu país vai continuar a transportar energia para a Europa.

Cerca de 15% do gás consumido na Europa transita por território ucraniano.

Durão Barroso foi hoje agraciado com a medalha de honra da Universidade Internacional Menéndez Pelayo, em Santander, também já atribuída ao Nobel da Literatura José Saramago.