A Comissão Europeia escusou-se a comentar as notícias sobre uma eventual saída da Grécia da zona euro, limitando-se a lembrar que, de acordo com o Tratado da União Europeia, a pertença ao espaço monetário único «é irrevogável».

Na primeira conferência de imprensa do ano da Comissão Europeia, a porta-voz Annika Breidthardt, questionada sobre um artigo da revista alemã Der Spiegel, segundo o qual a chanceler Angela Merkel estaria agora disponível para a saída da Grécia da zona euro, em caso de vitória do partido de esquerda Syriza, disse que a Comissão «não comenta rumores nem especulações».

Questionada em concreto sobre o que está previsto no Tratado, a porta-voz recordou que, de acordo com o artigo 140.º, parágrafo 3, a pertença à zona euro «é irrevogável».

Breidthart escusou-se a fazer mais comentários, remetendo para a declaração do comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, de 29 de dezembro, dia em que o parlamento grego falhou a eleição de um Presidente, forçando a convocação de eleições antecipadas, para 25 de janeiro.

«Agora, a única declaração que interessa é que os eleitores gregos farão a 25 de janeiro», concluiu.