A Comissão Europeia (CE) pediu este sábado aos países da União Europeia para cooperarem nos testes de medição dos carros Volkswagen em termos de emissões poluentes após o escândalo de manipulação através de um dispositivo eletrónico.

A CE reiterou que os peritos da União Europeia têm alertado para o risco de fraude na medição das emissões poluentes dos carros de 2013, segundo um relatório do Centro de Investigação Conjunta da Comissão.

Em particular, o centro de investigação chegou à conclusão que os exames laboratoriais não correspondem às emissões reais dos veículos, bem como a possibilidade de utilização dispositivos eletrónicos.

Bruxelas salientou que, embora a Comissão Europeia tenha estabelecido o quadro regulamentar aplicável aos testes para medir as emissões, os Estados-Membros devem aplicar a legislação.

"Portanto, não é uma questão que compete à CE, mas às autoridades competentes dos Estados, necessários para implementar a legislação europeia, incluindo a proibição explícita de dispositivos manipuladores", disseram fontes da União Europeia, citadas epela EFE.

A Comissão Europeia disse que estava ciente de que "tinha de melhorar o quadro regulamentar", sendo que "há algum tempo atrás foi feita a proposta para reformular a forma como os testes são realizados", pelo que "agora é importante que essas propostas estejam finalizadas e rapidamente aplicadas".

"Exortamos os Estados-Membros a cooperar com a Comissão Europeia para atingir este objetivo", acrescentaram as fontes.

O ministro da Economia português, António Pires de Lima, afirmou na quinta-feira que os automóveis da Volkswagen produzidos na fábrica da Autoeuropa “não tiveram incorporação” do ‘kit’ que falseou o desempenho dos motores relativamente às emissões poluentes.

Pires de Lima, que falava após a reunião do Conselho de Ministros, afirmou já ter falado sobre o assunto com os responsáveis da administração da Autoeuropa, segundo os quais “os veículos produzidos em Portugal, nos últimos anos, não tiveram a incorporação deste ‘kit’ fraudulento”, mas não precisou se iria fazer uma inspeção aos veículos do grupo Volkswagen.

Na sexta-feira, o grupo automobilístico alemão Volkswagen informou que existem cinco milhões de veículos da sua marca principal (VW) afetados em todo o mundo pela manipulação das emissões poluentes.

Alguns modelos estão equipados exclusivamente com o motor diesel EA 189, o tal que incorpora o dispositivo manipulador de emissões poluentes.

Entre estes modelos estão o Golf de sexta geração, o Passat da sétima geração e a primeira geração do Tiguan.

A Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos acusou há uma semana a Volkswagen de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado no veículo.

No domingo passado, a Volkswagen reconheceu ter falseado os dados e na terça-feira anunciou que mais de 11 milhões de carros a gasóleo em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera.