O comissário europeu do Ambiente advertiu, em 2013, os seus colegas de que os fabricantes de carros estavam a manipular motores para passar nos testes de emissões poluentes, muito antes do escândalo da Volkswagen, noticiou o Financial Times.

O fabricante alemão reconheceu, em setembro, ter equipado milhares de veículos de motor diesel com um dispositivo para distorcer os resultados dos testes de emissões poluentes.

Os dirigentes da União Europeia estavam ao corrente do problema dois anos antes de ser conhecido, mas permitiram que as brechas regulatórias permanecessem, segundo o Financial Times, que cita uma troca de correspondência entre responsáveis europeus.

 A Volkswagen já suspendeu 10 gestores desde que foi conhecido o escândalo em torno da manipulação de emissões, que levou à queda do presidente executivo do grupo, Martin Winterkorn. 

O grupo anunciou que vai chamar à revisão  8,5 milhões de carros afetados na Europa. O dabricante alemão decidiu também retirar dos stands europeus carros a gasóleo novos que possam estar afetados com o kit fraudulento. Em Portugal, apurou a TVI, são mais de 200 veículos que ficam retidos nos stands.