A Comissão Europeia admite chumbar o projeto de Orçamento do Estado português e poderá mesmo exigir a apresentação de um novo orçamento com medidas de austeridade.
 
Ao que a TVI apurou junto de fontes europeias, Bruxelas prevê que as medidas anti-austeridade vão fazer o défice disparar acima dos 3% este ano e no próximo, assim como um agravamento do saldo estrutural.
 
A Comissão considera ainda que o crescimento económico será de pouco mais de 1,5%, longe dos 2,1% inscritos pelo Governo no draft orçamental.
 
Um Orçamento, que, considera a Comissão, é demasiado otimista, se não irrealista, e aponta “erros técnicos graves” em alguns cálculos.
 
Para já, a Comissão enviou uma carta ao Governo, expressando sérias dúvidas e pedindo mais explicações sobre o documento até sexta-feira.
 
Mas a avaliação é tão crítica que pode ser um prelúdio de rejeição do projeto orçamental, a primeira na zona euro.

O Governo está otimista num acordo com a Comissão Europeia sobre o projeto orçamental de 2016. O primeiro-ministro desvalorizou esta quarta-feira o pedido de explicações feito por Bruxelas, e o ministro das Finanças reiterou que o “draft” enviado à Comissão é “cauteloso”.