O ex-presidente executivo do BES, Ricardo Salgado, reiterou esta quinta-feira «todas as afirmações» que fez na sua audição na comissão de inquérito à gestão do banco e do GES, e sublinhou estar «perfeitamente disponível» para voltar ao parlamento.

A carta foi enviada ao presidente da comissão de inquérito, Fernando Negrão, esta tarde.
 

«Reitero todas as afirmações que fiz na minha audição perante a comissão parlamentar de inquérito»


Salgado realça que «ainda no decurso» da sua audição, «precisamente às 18:48», alguns órgãos de comunicação social «divulgavam já uma carta» do governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, em reação às palavras do antigo presidente do BES, que continuaria a falar até às 19:14.

O governador refutou então as afirmações feitas por Ricardo Salgado sobre a alegada aceitação de Amílcar Morais Pires para futuro presidente da Comissão Executiva do banco.
 

«Permanecerei inteiramente disponível para regressar à comissão parlamentar de inquérito, por forma a prestar - de forma direta e pessoal - todos os esclarecimentos adicionais, caso assim venha a ser entendido pelos senhores deputados»


O ex-presidente do BES explica ainda porque não cessou funções.

«Nunca me foi transmitido que seria inidóneo para o exercício do cargo de administrador do grupo BES. Caso assim tivesse sido, teria, imediatamente, cessado funções».


Esta quinta-feira está a ser ouvido Amílcar Morais Pires, ex-administrador financeiro do BES. 


Veja aqui a carta de Ricardo Salgado na íntegra