A Comissão de Acompanhamento para a privatização dos CTT defende que o processo foi conduzido de acordo com as «boas práticas dos mercados de capitais», respeitando «padrões de transparência e/ou rigor, isenção e imparcialidade, alinhados com a prossecução e melhor defesa do interesse público e do Estado».

«Nada identificámos nos trabalhos desenvolvidos durante o processo de privatização, ou chegou ao nosso conhecimento, que nos leve a concluir que, à data de 21 de Janeiro de 2014, a que se refere este relatório, os processos e as decisões não foram os adequados em todos os aspectos relevantes», pode ler-se no relatório publicado esta segunda-feira no Ministério das Finanças.

A estreia dos CTT em bolsa aconteceu a 5 de dezembro último, com cada ação a valer 5.52 euros.