Boas notícias na hora de abastecer o carro hoje, a partir da meia-noite.

Ao que a TVI apurou os preços a gasolina e do gasóleo vão descer.

Se tem um carro a gasolina, a descida média é de 2 cêntimos por litro. Menor no caso do gasóleo, com uma quebra de 1,5 cêntimos por litro.

Esta é a primeira descida no preço dos combustíveis em Portugal num mês já que, até à semana passada, a matéria-prima nos mercados internacionais não desceu, com o valor dos futuros (contratos de petróleo negociados hoje para entrega posterior) do Brent - o crude que negoceia em Londres e serve de referência às nossas importações – a rondar os 50 dólares por barril.

Um cenário que se alterou a meio da semana passada. “As notícias do aumento das reservas norte americanas num valor superior ao esperado (2,3 milhões de barris) acompanhado pela valorização do dólar conduziram a uma reação de forte baixa das cotações internacionais do crude. Em Nova Iorque, o petróleo WTI fechou a negociação nos 44,70 dólares por barril, enquanto o petróleo Brent encerrou a sessão nos 46,89 dólares”, reporta a Entidade Nacional para o Mercado dos Combustíveis, no boletim de quinta-feira passada, dia 1 de setembro, em que comunicou também a descida nos preços de referência.

É que a evolução do valor da matéria-prima nos mercados internacionais conta 25,2% para a constituição do preço de referência – que acaba por ditar o que, em média, cada um de nós paga quando abastece o carro.

Este domingo, o petróleo Brent continua a negociar na casa dos 46 dólares por barril e o WTI pouco acima dos 44 dólares por barril,  que pode fazer crer em boas notícias para a semana que vem em matéria de combustíveis em Portugal. Embora os países exportadores de petróleo continuem a fazer grandes esforços no sentido de chegarem a um acordo que permita estabilizar a produção mundial e com isso travar excesso de oferta e estabilizar preço da matéria-prima por essa via – admitindo uma procurar mais ou menos constante.

Na passada sexta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, disse estar otimista sobre um futuro consenso dos produtores em torno da produção de crude.

"É um processo em evolução e veremos o que acontece na reunião na Argélia. Estou bastante otimista," disso o ministro citado pela Reuters.