Os ferroviários realizam hoje uma jornada nacional de luta, que inclui greves e manifestações em vários pontos do país, contra os novos cortes salariais e a perda de direitos e regalias.

Os trabalhadores ferroviários vão fazer greve nas duas últimas horas do período de trabalho, o que, segundo a empresa, deverá causar perturbações e supressões na circulação dos comboios, sobretudo nas linhas suburbanas de Sintra e Azambuja e nos comboios urbanos do Porto.

Para o início da tarde estão marcadas concentrações junto às estações de comboios de Alfarelos, Faro, Lisboa/Santa Apolónia e Porto/Campanhã.

O dia de protesto, promovido pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário, tem como objetivo exigir a reposição integral do Acordo de Empresa e dos salários e contestar as privatizações no setor.

Os trabalhadores ferroviários consideram que as medidas do Orçamento do Estado «que impõem uma redução do número de trabalhadores e dos custos operacionais» terão «impacto na qualidade, quantidade e segurança do transporte ferroviário», pondo em causa a sua componente social.