Em 1.041 ligações ferroviárias que a CP - Comboios de Portugal tinha previstas para esta quinta-feira, apenas se realizaram 121 até às 18:00, sendo o serviço regional o mais afetado pela greve dos revisores, disse à Lusa fonte da empresa.

«Até às 18:00 circularam 121 comboios a nível nacional, de um total de 1.041. O serviço regional foi o mais penalizado, uma vez que só circularam dois comboios», referiu a porta-voz da CP, Ana Portela.

Quanto à circulação dos comboios urbanos, esta também foi «bastante afetada» e, dos 496 previstos para Lisboa, circularam 62. No Porto, entre os 107 previstos, circularam apenas 14, segundo Ana Portela.

Nas ligações feitas pelo Alfa Pendular, foram feitas 17 entre as 18 previstas. Já nas ligações efetuadas pelo Intercidades, em 39 previstas foram feitas 24, acrescentou a porta-voz da empresa.

Foi ainda realizado um comboio internacional e outro dos urbanos de Coimbra.

Contactado pela Lusa, o presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial Itinerante, Luís Bravo, disse que a adesão à greve, para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996, ronda os 100%.

Ao nível da circulação dos comboios regionais e dos urbanos de Lisboa, Porto e Coimbra, a adesão à greve foi superior aos 95%, de acordo com o sindicalista.

Na sequência da greve, a circulação tem vindo a ser afetada ao longo de todo o dia, devendo os atrasos e supressões prolongar-se até terça-feira (7 de abril) de manhã.

Os revisores CP agendaram dois dias de greve (esta quinta-feira e na segunda-feira) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

A esta paralisação vem juntar-se a greve ao trabalho em dia feriado convocada pela Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) para os dias 3 e 5 (sexta-feira Santa e domingo de Páscoa).

Luís Bravo congratulou-se com o facto de «há muitos anos não se verificar uma taxa de adesão à greve tão elevada na CP» e deu ainda conta do apelo feito pelo sindicato aos seus associados para que se juntem à greve convocada pela FECTRANS.