Luz verde total para a Oferta Pública de Aquisição (OPA) dos catalães do CaixaBank sobre o BPI. depois da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) o permitir, agora é o supervisor na área dos seguros que viabiliza a operação.

Na sua página na internet, o regulador comunica a sua decisão, tomada no passado dia 21 de julho pelo seu conselho de administração:

Não se opor à aquisição indireta pelo CaixaBank das ações representativas da totalidade do capital social e dos direitos de voto da BPI Vida e Pensões - Companhia de Seguros, S.A., de ações representativas de 50% do capital social e dos direitos de voto da COSEC - Companhia de Seguro de Créditos, S.A., e de ações representativas de 35% do capital social e dos direitos de voto da Companhia de Seguros Allianz Portugal, S.A”, refere o comunicado.

No passado dia 18 de abril, o CaixaBank obteve a 'luz verde' da CMVM para lançar uma OPA sobre as ações do BPI que ainda não controla, oferecendo um preço de 1,113 euros por ação no anúncio preliminar da operação.

Na passada semana, ficou adiada a assembleia-geral do BPI que deverá abordar a desblindagem dos direitos de voto dos acionistas, limitados a 20%, independentemente do capital que detenham. 

Na terça-feira, o BPI apresentou os seus resultados do primeiro trimestre do ano, com lucros de 106 milhões de euros.