A Espírito Santo Saúde (ESS) atingiu um resultado líquido atribuível aos acionistas de 14 milhões de euros em 2013, o que representou o regresso aos lucros da empresa presidida por Isabel Vaz, depois do prejuízo de 2012.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a ESS revelou que os rendimentos operacionais aumentaram 9,4% no ano passado, de 341,4 em 2012 para 373,6 milhões de euros, tendo o EBITDA (resultados antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) subido 51,8%, de 38,8 para 59 milhões de euros.

«2014 será um ano crucial para o futuro de Portugal com o final do programa de assistência financeira e a retoma do crescimento económico do país. A ESS irá manter o foco no crescimento rentável e na criação de valor para os seus acionistas e restantes stakeholders», escreveu a presidente executiva da empresa recentemente cotada em bolsa, que ressalvou tencionar propor o pagamento de dividendos a partir de 2015.

De acordo com a ESS, o «desempenho positivo foi impulsionado por dois fatores principais», por um lado o turnaround do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que passou de um EBITDA negativo de 12 milhões de euros em 2012 para positivo em um milhão e, por outro, «a melhoria da margem EBITDA no segmento de cuidados de saúde privados».

O crescimento dos rendimentos operacionais no setor dos cuidados de saúde privados foi impulsionado «por um aumento generalizado da atividade ambulatória (seis, oito e 7% de crescimento do volume de consultas, atendimentos em urgência e exames e tratamentos, respetivamente)», o que compensou a quebra no rendimento médio por ato assistencial, tendo as cirurgias caído 2%.

«Durante 2014, a ESS focar-se-á em alavancar a elevada procura pelos seus serviços no segmento privado de cuidados de saúde, especialmente nas regiões de Lisboa e Porto. Simultaneamente, através da melhoria e reengenharia contínua de processos, a ESS estará concentrada no aumento da eficiência nas suas principais unidades privadas, com o objetivo de melhorar a utilização da capacidade instalada», refere a empresa, que menciona a intenção de dar os primeiros passos na expansão do Hospital da Luz, da Arrábida e na Clínica de Oeiras.

Para além disso, a ESS pretende continuar, em parceria com a Teixeira Duarte, o projeto do novo hospital privado em Luanda para arrancar com a expansão internacional do grupo.