A Câmara de Lisboa quer criar uma residência para empreendedores das StartUp da cidade, de permanência temporária e com capacidade entre 20 a 30 pessoas em simultâneo, anunciou hoje a vereadora da Inovação, Graça Fonseca.

A proposta para a cedência de um prédio na Baixa da cidade à Associação para a Inovação e Empreendedorismo de Lisboa (StartUp Lisboa), para ser instalada e gerida uma residência de empreendedores, vai ser debatida na reunião de quarta-feira da Câmara.

«Muito frequentemente existem sócios estrangeiros que precisam de estar cá um mês para trabalhar num projeto específico com os portugueses. Para eles próprios também é bom terem um espaço próximo da StartUp e onde possam ficar e também trocar ideias num ambiente mais descontraído», disse a vereadora à Lusa.

Segundo Graça Fonseca, um em cada três empreendedor das StartUp Lisboa é estrangeiro.

Além dos quartos, a residência vai ter salas comuns e espaços de trabalho.

Com espaço para receber entre 20 a 30 pessoas em simultâneo, a residência vai ficar a ser gerida pela StartUp Lisboa.

«A residência complementa o que é a StartUp Lisboa e as incubadoras e é algo que vemos como bastante positivo», indicou a vereadora.

Lisboa tem atualmente dois polos StartUp na cidade e deverá abrir este verão um terceiro também na Baixa.