A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI) Christine Lagarde considera que o crescimento da economia mundial vai ser uma “desilusão”. E por detrás dessa perspetiva desanimadora poderão estar as duas maiores economias do mundo: EUA e China.

“Para a incerteza e para o maior risco de volatilidade económica mundial estão a perspetiva da subida dos juros nos Estados Unidos e o travão ao crescimento económico chinês”, defende Lagarde ao jornal alemão Handelsblatt.

No entanto, no mesmo texto, a responsável máxima do fundo entende que, “o início da estabilização da política monetária nos EUA é necessárioa e saudável, bem como a mudança da China para um novo modelo económico”, mas defende que essas atuações devem ser feitas de uma forma “mais eficiente e sem problemas”.


Para a área do euro, as perspetivas poderão melhorar se o crédito "começar a ser expandido" e se se aumentar a "eficácia da política monetária”.

O FMI prevê que a economia portuguesa cresça 1,5% no próximo ano e que o desemprego se situe nos 11,3%.