O número de bilionários em todo o mundo aumentou acima de 1.500 no ano passado, uma subida de 10% face a 2015 devido, principalmente, ao seu aumento na Ásia, segundo as contas do banco suíço UBS e da consultora PwC.

Num relatório anual, citado pela agência AFP, a UBS e a PwC revelam que em 2016, pela primeira, o número total de bilionários na na Ásia (637) superou os existentes nos Estados Unidos (563). Uma subida que, de acordo com a análise feita, pode estar relacionada com o aumento de os empresários chineses. De resto, três quartos dos que ficaram multimilionários em 2016, proveem da China e da Índia.

A Europa ocupou o terceiro lugar deste relatório, com 342 bilionários.

A riqueza total controlada pelo o grupo dos super ricos atingiu os 5,1 triliões de euros, registando um aumento de 17% em relação ao ano anterior, quando a riqueza destas pessoas encolheu.

O grupo de 1.542 bilionários possui, ou controla, em parte de as empresas que empregam 27,7 milhões de pessoas em todo o globo, acrescenta ainda o relatório.

Mesmo assim, e numa altura em que o abismo entre os ricos e os pobres continua a ser uma questão política em todo o mundo, o estudo revela que os recursos destes bilionários são cada vez mais afetos, também, a beneficiar os mais necessitados. De acordo com o UBS e a PwC, " cerca de 2,1 triliões de euros desta riqueza será transferida, nas próximas duas décadas e à medida que os bilionários envelhecem, para causas filantrópicas.”