O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, anunciou esta sexta-feira o lançamento de uma Campanha Nacional para concretizar, nos próximos quatro anos, a luta contra a precariedade laboral.

"A precariedade é uma praga que importa combater com todas as nossas forças. Por isso, vamos lançar uma Campanha Nacional Contra a Precariedade pelo Trabalho com Direitos", anunciou o líder da Inter, no final da sua intervenção de abertura do XIII Congresso.

O sindicalista explicou que esta é uma campanha para quatro anos, para construir na base, fazendo o levantamento das situações existentes de forma a tornar-se numa campanha de alerta para a população.

"Numa altura em que cerca de um milhão de trabalhadores se encontram numa situação de precariedade, em que se generalizam as práticas que convertem o trabalho precário num flagelo do mundo laboral [...] é preciso que este grande coletivo responda, mais uma vez, a um problema que afeta os trabalhadores", assinalou Arménio Carlos.

Ao mesmo tempo, o dirigente anunciou o lançamento de uma campanha de sindicalização de 110 mil trabalhadores para o próximo quadriénio, após ter revelado que a meta das 100 mil sindicalizações fixada no último Congresso foi ultrapassada em mais de quatro mil trabalhadores.

Na sua intervenção, Arménio Carlos reafirmou as reivindicações da Central sindical no sentido da valorização do trabalho e das condições de vida dos portugueses e reconheceu que o Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) inverte o rumo de cortes sucessivos nos salários e nas pensões, embora fique aquém do desejável.

"É inequívoco que com o atual Governo, na presente correlação de forças na Assembleia da República, há mais espaço para a negociação", frisou o líder da CGTP, numa intervenção que durou mais de meia hora.

Na sessão de abertura estiveram presentes uma delegação da UGT, delegações dos grupos parlamentares do PCP, Bloco de Esquerda, PS e Verdes, de várias comissões parlamentares, comissões de utentes, associações, o ex-secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, entre outros.