A comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos deverá ser suspensa esta sexta-feira. Os deputados aprovaram o envio para o Tribunal da Relação de Lisboa, de um pedido para que diversas entidades sejam obrigadas a entregar documentos para análise da comissão.

A comissão reuniu-se esta sexta-feira de manhã para apreciar o requerimento apresentado pelo grupo parlamentar do PSD, solicitando o recurso ao Tribunal da Relação de Lisboa. O texto foi aprovado com os votos de todas as bancadas, sendo que o PS se absteve. 

Em causa, estão documentos da parte do banco público e do Banco de Portugal. Sem eles, e com a avaliação do tribunal a decorrer, os deputados deverão suspender os trabalhos da comissão. Essa decisão será tomada na próxima semana, quando for tomada uma decisão judicial em torno da documentação pedida.

Segundo o jornal Público, com todos os impedimentos, o inquérito parlamentar só deve recomeçar em janeiro.

É mais uma dificuldade para uma comissão de inquérito que foi imposta por PSD e CDS-PP e rejeitada desde o início pela esquerda parlamentar.

José de Matos, antigo presidente da Caixa Geral de Depósitos, o governador do Banco de Portugal carlos costa, o ministro das Finanças, Mário Centeno, e o novo presidente do banco, António Domingues, já foram ouvidos pelos deputados.