O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, afirmou esta quinta-feira que respeita, mas discorda da decisão do Tribunal Constitucional (TC) sobre a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES), adiantando que vai contactar os partidos para avaliar a situação.

«Embora respeitando a decisão do Tribunal Constitucional (TC), a CGTP discorda destas conclusões na medida em que resultam de uma apreciação e visão muito formal que ignora a realidade material e a realidade em que esta CES temporária está a ser aplicada pelo quarto ano consecutivo», disse à agência Lusa Arménio Carlos.

O Tribunal Constitucional (TC) declarou na quarta-feira constitucionais a norma do Orçamento Retificativo que alarga a Contribuição Extraordinária de Solidariedade.

Em declarações hoje à Lusa, o secretário-geral da CGTP adiantou que, «no momento oportuno», contactará todos os partidos da oposição com assento parlamentar para fazer a avaliação das decisões do TC e também apresentar ideias e propostas sobre os novos cortes que estão a ser preparados e que já foram votados na Assembleia da República para os salários e pensões.

«Estas decisões não dão resposta aos problemas dos portugueses», concluiu.