O Governo está a estudar a hipótese de começar os cortes nas pensões através do teto mínimo de 938 euros, valor que está numa das declarações de voto do Tribunal Constitucional, segundo o jornal Público.

Este é o valor padrão que serve de referência à comparticipação paga pelo Estado a cada idoso colocado em lares ou residências.

O Governo acredita, assim, que dificilmente o TC aceitaria cortes abaixo desse valor, e, segundo o jornal, estará a trabalhar com base nesse número.

Atualmente, a contribuição extraordinária de solidariedade (CES) atinge as pensões a partir de 1350 euros ilíquidos. Os cortes previstos vão de 3,5% a 10%, valores que continuam a ser discutidos.