Os Certificados do Tesouro Poupança Mais, o novo produto de poupança lançado na quinta-feira pelo IGCP, atraíram 59,7 milhões de euros em apenas dois dias, segundo os dados fornecidos à agência Lusa pela entidade pública.

Na quinta-feira, primeiro dia em que estiveram disponíveis para subscrição, o encaixe foi de 33,1 milhões de euros. Já hoje, até às 17:00 (só nos Correios de Portugal - CTT), foram subscritos mais 26,6 milhões de euros, revelou a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública - IGCP.

Estes certificados custam um euro cada e têm um montante mínimo de subscrição de mil unidades.

Os Certificados do Tesouro Poupança Mais podem ser subscritos nas estações dos CTT - Correios de Portugal por investidores particulares, por prazos de cinco anos, com remunerações que vão dos 2,75% no primeiro ano aos 5% nos quarto e quinto ano.

Estes certificados custam um euro cada e o montante mínimo de subscrição é de mil unidades, ou seja, mil euros. O máximo que um investidor pode subscrever é um milhão de unidades.

Desde o início deste ano que o atual Governo e a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública - IGCP, que gere a dívida pública, têm dito que querem beneficiar do aumento da poupança, pelo que trabalham em novos instrumentos de poupança que captem o interesse dos portugueses para investir em dívida pública.

Os Certificados do Tesouro Poupança Mais são a nova forma de as famílias portugueses acederem a títulos de dívida pública, em que os mais populares ainda continuam a ser os certificados de aforro, escreve a Lusa.