Mais de 1.400 empresas da região Centro vão receber apoios comunitários, de acordo com a lista de projetos aprovados no Programa Centro 2020, divulgada esta segunda-feira pela Comissão de Coordenação da Região Centro.

Na maioria, as empresas que constam da lista, reportada a 31 de maio de 2016, são de micro, pequena e média dimensão, abarcando sobretudo os setores da indústria transformadora, comércio, serviços, turismo, construção, transportes, agricultura e silvicultura.

Uma empresa de Ovar (distrito de Aveiro), ligada à transformação de borracha e plásticos, vai receber a maior comparticipação dos apoios listados, superior a dois milhões de euros, relativa a um projeto a concurso com um valor global de três milhões de euros.

Ainda no distrito de Aveiro, destaque para o apoio a uma das mais tradicionais fábricas da indústria de duas rodas de Águeda, que irá beneficiar de um incentivo superior a 1,6 milhões de euros para um projeto de construção e comercialização de peças para bicicletas.

Em Coimbra, o maior apoio (1,086 milhões de euros) vai para um projeto na área do Turismo, que passa pela instalação de uma unidade hoteleira na Alta da cidade, próximo da universidade, enquanto um projeto de transportes na zona da Serra da Estrela será contemplado com um milhão de euros.

Em Oliveira de Frades, uma empresa ligada à indústria farmacêutica viu o seu projeto de diagnóstico rápido na área da Medicina contemplado com um incentivo superior a 1,3 milhões, num valor global de quase dois milhões, enquanto em Vagos (Aveiro) uma empresa especializada na produção e comercialização de soluções globais de higiene e limpeza, que se instalou recentemente no concelho, vai receber um apoio de 1,9 milhões de euros.

Na lista revelada esta segunda-feira, a maior parte dos incentivos tem um valor relativamente baixo, mas a comparticipação é ajustada ao valor do projeto apresentado a concurso.

Para o período 2014-2020, o Programa Operacional da Região Centro tem uma dotação de 2.155 milhões de euros, dos quais 1.751 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e 404 milhões de euros do Fundo Social Europeu (FSE).

Este valor representa um acréscimo de 27% face ao anterior período de programação (2007-2013) e corresponde a um valor de 925 euros por habitante da Região Centro.

O novo Programa Operacional da Região Centro estrutura-se em nove eixos prioritários, mobilizando nove objetivos temáticos e 27 prioridades de investimento.

De acordo com a informação disponibilizada pela CCDRC, o Programa Operacional da Região Centro, para o período 2014-2020 (CENTRO 2020), tem como base uma estratégia de desenvolvimento regional partilhada e construída através de uma forte mobilização de todos os parceiros regionais.

"Com a aplicação dos fundos comunitários inscritos no Programa Operacional, a Região Centro ambiciona tornar-se Innovation Follower, representar 20% do PIB Nacional e convergir para os níveis de produtividade nacional, diminuir em 10% as assimetrias territoriais, ter 40% da população jovem com formação superior e ter uma taxa de desemprego inferior a 70% da média nacional".

A Região Centro terá, assim como prioridades, até 2020, garantem os gestores do Programa, "sustentar e reforçar a criação de valor e a transferência de conhecimento, promover um tecido económico responsável, industrializado e exportador, captar e reter talento qualificado e inovador, reforçar a coesão territorial, estruturar uma rede policêntrica de cidades de média dimensão, dar vida e sustentabilidade a infraestruturas existentes e consolidar a capacitação institucional".