Os assistentes operacionais do Centro Hospitalar de Leiria vão avançar para cinco dias de greve, a ter início a partir de 16 de dezembro, anunciou hoje o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Centro (STFPSC).

A responsável do distrito de Leiria do Sindicato, Elisa Pinto, relatou à agência Lusa que os trabalhadores reuniram-se hoje à tarde em plenário para debater algumas formas de luta contra as «ilegalidades cometidas pelo Conselho de Administração (CA) do hospital, no que se refere à organização do tempo de trabalho».

A decisão dos trabalhadores foi «avançar para dias inteiros de greve, no total de cinco, a começar às 00:00 de 16 de dezembro».

Elisa Pinto adiantou que os trabalhadores reivindicam o cumprimento da legislação quanto à organização dos horários por turnos, assim como o cumprimento da carga horária diária e semanal legalmente estabelecida.

Segundo a dirigente sindical, a legislação aponta para 40 horas semanais, divididas em oito horas diárias e «o que está a suceder é que estão a ser cumpridas 35 horas semanais e os trabalhadores ficam em dívida.»

A falta de pessoal impede ainda o cumprimento dos tempos de intervalo entre turnos e do direito às folgas e descanso complementar.

A dirigente sindical garantiu ainda que já foi entregue um abaixo-assinado e pedida uma reunião ao CA do Centre Hospitalar de Leiria (CHL), mas «até ao momento não houve qualquer feedback».

Entretanto, o CA do hospital esclareceu que «não pratica atos nem aplica medidas ilegais, quer em relação à gestão do Centro Hospitalar em geral, quer em relação aos seus profissionais».