O presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola (CCIPA) admite que "questões burocráticas" estão a "dificultar" a "plena implementação" da linha de crédito criada pelo Governo português para apoiar as empresas nacionais que trabalham com Angola.

Em causa está uma linha de 500 milhões de euros estabelecida pelo Governo português com os bancos, em abril, para reforço da tesouraria destas empresas portuguesas, face às dificuldades conjunturais em Angola com a crise do petróleo, mas que ainda não estará totalmente operacional.