O Presidente da República considerou esta segunda-feira em Seul que as relações entre Portugal e a Coreia do Sul «estão aquém do seu potencial», mas garantiu que os dois países estão empenhados em aprofundar as ligações «em todos os domínios».

«Constatámos que as relações estão aquém do seu potencial, mas foi firme a determinação dos dois países em darem um passo em frente para reforçarem as relações em todos os domínios - político, económico, empresarial, cultural, científico e turístico», afirmou Aníbal Cavaco Silva, no final de um encontro com a Presidente sul-coreana, Park Geun-hye, o último ponto da sua agenda da visita oficial de dois dias à Coreia do Sul.

Sobre o encontro com a sua homóloga, o Presidente garantiu que as conversas foram «extremamente proveitosas e vão traduzir-se em benefícios mútuos» para ambos os países.

«Não tenho dúvidas de que na sequência da nossa reunião de hoje, demos um passo importante para o reforço das relações políticas, económicas, comerciais, culturais e turísticas entre os nossos dois países para o reforço das relações de amizade entre os povos coreano e português», declarou o chefe de Estado.

Cavaco Silva afirmou que «é possível dar passos em frente na cooperação entre Portugal e a Coreia no domínio económico, com vantagens para os dois países».

O Presidente referiu que o pequeno-almoço que hoje teve com administradores de grandes empresas sul-coreanas e o seminário económico que se seguiu permitiram «abrir portas para que se realizem avanços na cooperação empresarial entre parceiros coreanos e parceiros portugueses».

A chefe de Estado coreana afirmou que «o volume comercial entre a Coreia e Portugal tem crescido continuamente e a perspetiva é de que crescerá ainda mais graças à recuperação da conjuntura económica da zona euro e também da implementação do acordo de livre comércio» entre a União Europeia e a República da Coreia.

«Há possibilidade para a criação de ligações entre empresários de dois países e para fomentar o conhecimento e o investimento mútuo», defendeu Park Geun-hye.

Durante o encontro, os dois presidentes assinaram um memorando de entendimento que pretende incrementar a cooperação no domínio do turismo, área em que existe «um grande potencial de crescimento», e um outro memorando para desenvolver «a cooperação bilateral nas energias renováveis e na eficiência energética, em que os dois países dispõem de know-how e potencial de relevo».

A reunião estava prevista demorar uma hora, mas prolongou-se por mais tempo.

Após o encontro, o Presidente almoçou com a sua homóloga, tendo realçado que a sua visita à Coreia do Sul, a primeira de um chefe de Estado português desde o estabelecimento de relações diplomáticas, há mais de 50 anos, «é um sinal claro da importância que os dois países atribuem à relação bilateral e da determinação firme em construir, em conjunto, uma parceria de futuro».