O Presidente da República sublinhou esta quarta-feira que a elevação da competitividade das empresas não pode depender só do ajustamento dos custos do trabalho, até porque as empresas com maior sucesso «são as que mais investem em investigação e desenvolvimento e na formação do capital humano».

«A descida dos custos unitários do trabalho deu um impulso à competitividade das empresas. Mas estes ganhos só poderão ser mantidos através da melhoria do capital humano e da adopção de processos de inovação», disse Cavaco Silva, no IX encontro da Cotec Europa.

Cavaco Silva considerou ainda que é necessário evitar o enfraquecimento das políticas de investigação e desenvolvimento porque tal significaria reduzir a eficiência dos sistemas de inovação e alargar o fosso que nos separa dos países mais competitivos da União europeia.

«Se ambicionamos ser nações inovadoras e competir com países não podemos continuar a reduzir o investimento na produção de conhecimento e desenvolvimento tecnológico», reforçou.