O Presidente da República, Cavaco Silva, insistiu hoje na necessidade de Portugal ter um sistema fiscal «competitivo e estável», considerando que Portugal tem que se diferenciar dos países que têm a sua competitividade baseada nos baixos salários.

«Intrigas e insultos entre agentes políticos» não promovem crescimento

No âmbito do roteiro para uma Economia Dinâmica que promove hoje no Norte do país, Cavaco Silva discursava num almoço com empresários de Oliveira de Azeméis, Cavaco Silva, considerou que «a palavra-chave vai ser a competitividade» e que apesar das reformas que foram implementadas no país neste âmbito «mais tem que ser feito».

«E aqui não se pode esquecer a necessidade de ter um sistema fiscal que seja competitivo e que seja estável. O orçamento de cada ano não pode ser um fator de instabilidade do sistema fiscal, isto é, os empresários não podem pensar que quando chega um novo orçamento as regras fiscais vão alterar-se», defendeu.

De acordo com o Presidente da República, quer os empresários portugueses, quer os estrangeiros, «querem saber com que quadro fiscal se vão mover se decidirem investir no país», defendendo que as «alterações fiscais devem ser feitas só de vez em quando, através da alteração dos códigos fiscais».

Cavaco Silva considerou ainda que na conquista para novos mercados Portugal tem «que apostar de forma muito forte» naquilo que o «diferencia dos países que têm a sua competitividade baseada nos preços baixos, nos baixos salários».

«Com esses nós não podemos competir a não ser pela diferenciação, isto é, pela produção de bens e serviços que vão ao encontro de uma procura nova que se manifesta pela qualidade, pelo apoio aos clientes, pela demonstração que estamos aqui para servir e servir bem aqueles que querem adquirir os produtos portugueses», justificou.

O Presidente da República falou ainda do acordo de parceria, destacando que é «tempo de preparar a economia avançada e a economia dinâmica» e que é nesse sentido que vão as negociações entre o Governo e União Europeia.

O dia do Presidente da República começou com uma visita à empresa à Indasa (Aveiro), tendo depois seguido para a Polisport Plásticos (Oliveira de Azémeis).

Depois do almoço, Cavaco Silva segue para a Felmini (Felgueiras), encerrando o roteiro em Guimarães, com uma visita à TMG Automotive.