O Presidente da República, Cavaco Silva, recusou hoje comentar a atual situação do Banif, referindo que é preciso prudência quando se fala em público sobre o sistema bancário.

"É preciso medir bem as palavras quando se fala do sistema bancário, porque o seu funcionamento é decisivo para o funcionamento da nossa economia e consequentemente para o crescimento do emprego e da nossa produção", disse Cavaco Silva.

O chefe de Estado falava no final de uma visita à empresa Kerion, no concelho de Aveiro, no âmbito da 8.ª jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica, dedicada à cerâmica e metalomecânica.

Questionado pelos jornalistas sobre a atual situação do Banif, Cavaco Silva limitou-se a reafirmar que a estabilidade do sistema financeiro deve ser uma prioridade nacional.

"O bom senso e o conhecimento das funções do sistema bancário aconselham muito cuidado nas palavras que se pronunciam em público", adiantou.

A 8.ª jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica começou no concelho de Águeda com uma visita à Revigrés, uma empresa especializada na produção de revestimentos e pavimentos cerâmicos.

Da parte da tarde, o chefe de Estado irá focar-se no setor da metalomecânica, visitando o grupo Motofil (em Ílhavo) e o grupo Arsopi (em Vale de Cambra).

O Roteiro para uma Economia Dinâmica, que teve início em abril de 2014, irá terminar ao final da tarde com uma sessão no Centro Cultural de Macieira de Cambra, em Vale de Cambra, onde o chefe de Estado irá condecorar empresários.

Ao longo das oito jornadas do Roteiro para uma Economia Dinâmica o Presidente da Repúblico visitou mais de 30 empresas.