O Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 10,4% no terceiro trimestre, em termos homólogos, depois de uma subida de 8% no trimestre anterior, ao ritmo mais alto em pelo menos oito anos, divulgou hoje o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta é a taxa de variação mais elevada da série disponível desde 2009 e foi “essencialmente determinada pelo comportamento do preço dos alojamentos existentes, que aumentaram 11,5% em termos homólogos”.

Os preços dos alojamentos novos também cresceram de forma significativa, aumentando 6,9% face ao terceiro trimestre do ano anterior.

No terceiro trimestre de 2017, foram transacionados 38.783 alojamentos, um novo máximo da série disponível.

O valor das vendas realizadas entre julho e setembro de 2017 aproximou-se pela primeira vez dos 4,9 mil milhões de euros, sinaliza o INE.

O IPHab cresceu 3,5% entre o segundo e o terceiro trimestre de 2017, mais 0,3 pontos percentuais do que no período anterior.

Este valor foi influenciado, segundo o INE, pelo comportamento dos preços dos alojamentos existentes, que registaram uma subida de 4,1% no terceiro trimestre (aumentos 2,5% e 3,2%, no primeiro e segundo trimestres, respetivamente).

No caso dos preços dos alojamentos novos, embora tenham registado um aumento (1,7%), o ritmo foi inferior ao do trimestre anterior (3,3%).