O Tribunal Geral da União Europeia mantém as multas impostas por Bruxelas às siderurgias portuguesas Socitrel e Companhia Previdente, entre outras. O motivo é a cartelização do preço do aço para pré-esforço.

As empresas ainda podem recorrer, sendo que o tribunal decidiu esta quarta-feira reduzir as coimas a apenas três das 18 firmas implicadas no caso, indica a Lusa.

De notar que a cartelização de preços é uma prática que viola as regras da concorrência.

Por decisão de 30 de junho de 2010, a Comissão Europeia aplicou uma sanção a um cartel no qual fornecedores de aço para pré-esforço tinham participado entre os anos 80/90 e 2002.