Cerca de 1.600 trabalhadores da fábrica da Autoeuropa, em Palmela, subscreveram um abaixo-assinado a reclamar horários alternativos aos que foram propostos pela administração da empresa e que dizem colocar em causa os seu direitos, anunciou hoje o SITESUL.

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITESUL) refere, em comunicado, que "não existindo até à data qualquer proposta por parte da administração da Volkswagen/Autoeuropa que vá ao encontro das justas reivindicações dos trabalhadores e de acordo com a decisão do plenário realizado na passada semana, a greve agendada para 30 de agosto de 2017 mantém-se inalterada".

Esta tomada de posição do sindicato surge na sequência de uma reunião entre a comissão de trabalhadores e a administração da empresa que estava agendada para hoje de manhã, mas que, segundo o sindicato, foi cancelada devido à "falta de disponibilidade" da administração.

A administração da Autoeuropa já garantiu que as alterações propostas aos horários de trabalho na fábrica de Palmela têm enquadramento legal e serão pagas acima do que está previsto na lei e que mantém disponibilidade para o diálogo.