Os técnicos superiores do Instituto Nacional de Estatística vão passar a ter uma carreira especial, o que em alguns casos, poderá implicar aumentos salariais na ordem dos 250 euros.

A proposta do Executivo já foi enviada aos sindicatos e começa a ser discutida na próxima semana, de acordo com o Diário Económico.

Em causa está a situação laboral de cerca de 300 técnicos superiores, a transição para a carreira especial garante um aumento mínimo de 52 euros. O ingresso na carreira passa a ser melhor remunerado, assim como as progressões.

Os técnicos superiores serão sujeitos a um curso de formação com duração mínima de 6 meses e terão que permanecer no INE pelo menos durante 3 anos.