O presidente da CMVM criticou, com palavras duras, a gestão de empresas como o BPN, BPP ou BES.

«Não há bons modelos que resistam às pessoas erradas» e à «falta de ética e valores» na condução das empresas, sublinhou o responsável.


Carlos Tavares sublinhou a importância da responsabilidade social estar presente «em todos os atos» e em «todos os comportamentos» das empresas.

«Como poderá uma empresa falar de responsabilidade social se, por exemplo, não tiver mecanismos adequados de reconhecimento de competência de mérito dos trabalhadores?», questionou.


O responsável reclamou ainda «respeito absoluto» das empresas pelos seus acionistas e advogou também que «mecanismos efetivos de sanção por maus comportamentos e más práticas» são também fundamentais.

O presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliário falava em Lisboa, no encerramento da conferência «Responsabilidade Social e Corporate Governance», uma organização do Instituto Português de Corporate Governance.